Resultados da Pesquisa

Encontramos estes resultados abaixo:

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

Etiqueta: PIB

China e Índia: os únicos países entre 48 que viram o PIB crescer no 2º trimestre

O sincronismo dos impactos da pandemia de covid-19 em todo o mundo fez com que apenas dois países – China e Índia – registrassem crescimento econômico num levantamento sobre o desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) em 48 países, feito pela Austin Rating. Segundo o economista-chefe da agência de classificação de risco, Alex Agostini, nem mesmo durante a crise financeira, que se abateu sobre os mercados globais a partir de setembro de 2008, tantas economias ficaram no vermelho ao mesmo tempo. Os dados confirmam estimativas do Banco Mundial, que no início de junho divulgou projeções sinalizando que 2020 será o ano, numa série iniciada em 1870, em que a maior proporção de países apresentará retração na renda per capita ao mesmo tempo. Em 2020, 92,9% de todas as economias do mundo deverão registrar quedas. O recorde anterior foi visto em 1931, em plena Grande Depressão, quando 83,8% dos países viram

Mercado vê queda de 5,28% do PIB este ano, mostra Focus

SÃO PAULO – O mercado financeiro revisou, pela nona semana consecutiva, as projeções para o desempenho da economia brasileira e agora vê uma queda menor para o PIB este ano, de 5,28%. Na última semana, a estimativa era de contração de 5,46% da atividade. De acordo com o último relatório Focus, divulgado pelo Banco Central nesta segunda-feira (31), a expectativa é de que, depois do baque provocado pela epidemia de coronavírus, a atividade brasileira cresça 3,50% em 2021. Com relação à taxa básica de juros, as projeções referentes a dezembro de 2021 foram cortadas, de 3,00% para 2,88% ao ano, mas mantidas no patamar de 2,00% ao ano ao fim deste ano. Houve ainda alteração na projeção para a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) este ano, com elevação de 1,71% para 1,77%, com a expectativa para o indicador mantida em 3,00%, em 2021. Por fim,

Taxas de títulos do Tesouro Direto apresentam leve aumento na manhã desta segunda-feira

SÃO PAULO – Os prêmios pagos pelos títulos públicos negociados via Tesouro Direto apresentam leve alta na manhã desta segunda-feira (31), com preocupações no ambiente fiscal brasileiro. O título indexado à inflação com vencimento em 2035 pagava uma taxa anual de 3,72% na abertura dos negócios, ante 3,69% a.a. na sexta-feira (28). O juro pago pelo Tesouro IPCA+ com juros semestrais e vencimento em 2040, por sua vez, subia de 3,71% para 3,73% ao ano. Entre os títulos com retorno prefixado, o papel com juros semestrais e vencimento em 2031 pagava uma taxa anual de 7,12%, frente a 7,10% anteriormente, enquanto o Tesouro Prefixado 2023 pagava 4,15% ao ano, ante 4,12% a.a. anteriormente. Confira os preços e as taxas dos títulos públicos nesta segunda-feira (31): Fonte: Tesouro Direto Hoje, as atenções recaem sobre a entrega do Orçamento de 2021. Em meio a divergências sobre o Renda Brasil – que deve

Canadá: PIB se contrai à taxa anualizada de 38,7% no 2º trimestre

O Produto Interno Bruto (PIB) do Canadá se encolheu à taxa anualizada de 38,7% no segundo trimestre de 2020, diante dos efeitos da pandemia de novo coronavírus, segundo dados publicados nesta sexta-feira pelo Statistics Canada, como é conhecido o órgão local de estatísticas. Embora tenha sido forte, a queda do PIB canadense entre abril e junho foi menor do que a contração de 40% prevista por analistas consultados pelo The Wall Street Journal. A retração anualizada do PIB do Canadá no primeiro trimestre, por sua vez, foi mantida em 8,2%. The post Canadá: PIB se contrai à taxa anualizada de 38,7% no 2º trimestre appeared first on InfoMoney.

PIB dos EUA no segundo trimestre é revisado para queda menor, de 31,7% em termos anualizados

SÃO PAULO – O Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos sofreu uma contração de 31,7% no segundo trimestre de 2020 em termos anualizados, mostrou a segunda estimativa do Departamento de Comércio do país nesta quinta-feira (27). Segundo o consenso Bloomberg, a expectativa mediana dos economistas para o dado era de queda de 32,5% no PIB. Na primeira estimativa, havia sido registrada uma retração de 32,9% no indicador. Nos primeiros três meses de 2020 o PIB dos EUA já havia sofrido uma contração de 5%. Foi a queda trimestral mais brusca da atividade da maior economia do mundo em pelo menos 70 anos, uma vez que não havia divulgação trimestral do PIB durante a Grande Depressão da década de 1930. Este dado dá a dimensão do impacto econômico que teve a pandemia do coronavírus, mas o mercado já esperava conforme disseram analistas, um número “catastrófico”. Regra dos 10 tiros: aprenda

Ritmo de retomada do Brasil surpreende, mas mercado não acompanha com velhos temores voltando ao radar

SÃO PAULO – Na última sexta-feira (21), Paulo Guedes, ministro da Economia, ao comemorar o primeiro resultado positivo no mercado de trabalho desde a chegada da pandemia de coronavírus no Brasil, destacou que a recuperação da economia nacional pode ter mesmo o formato em ‘V’. Ou seja, um cenário de forte queda da atividade num primeiro momento para depois haver uma forte retomada. Não foi a primeira vez que o ministro deu esta declaração, que inclusive já foi concedida mesmo nos momentos mais agudos da crise com o coronavírus, quando grandes bancos revisavam constantemente para baixo as previsões para a atividade do País. Desta vez, contudo, a situação parece diferente: após uma onda de revisões para baixo no PIB entre março e abril, no auge dos temores do mercado com a crise, nas últimas semanas a situação parece ter se invertido. O relatório Focus, divulgado toda segunda-feira pelo Banco Central

Mercado financeiro volta a estimar Selic a 3,00% em 2021, mostra Focus

SÃO PAULO – Após cortar a projeção para a Selic em 2021 para 2,75% na última semana, o mercado financeiro voltou a estimar a taxa básica de juros em 3,00% ao fim do próximo ano. É o que mostra o relatório Focus, divulgado pelo Banco Central na manhã desta segunda-feira (24). Para 2022, a projeção também foi alterada, com corte na estimativa, de 4,75% para 4,50% a.a.. Este ano, contudo, os juros devem permanecer no patamar atual de 2,00% ao ano, segundo os economistas consultados pelo BC. Em meio às preocupações de um descontrole fiscal, os investidores monitoram nesta semana o anúncio de um pacote de medidas em diversas frentes para tentar sustentar a recuperação econômica e fazer a ponte de transição com o fim dos auxílios emergenciais concedidos durante a pandemia de coronavírus. Chamado de “big bang” pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, o pacote vai antecipar o programa Renda Brasil

Focus: mercado financeiro vê contração de 5,66% do PIB e reduz projeção para a inflação em 2020

SÃO PAULO – O mercado financeiro revisou para cima, pela quinta semana seguida, suas projeções para a contração da economia brasileira e agora vê uma queda menor para o PIB este ano, de 5,66%, ante expectativa anterior de uma retração de 5,77%. É o que mostra o relatório Focus, divulgado pelo Banco Central na manhã desta segunda-feira (3). Após o forte impacto da pandemia de coronavírus sobre a atividade brasileira, a expectativa dos economistas ouvidos pela autoridade monetária é de que haja uma expansão de 3,50% do PIB no próximo ano, sem alterações com relação ao último levantamento. No que tange à inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), o mercado reduziu, pela segunda semana consecutiva, suas estimativas de alta, de 1,67% para 1,63% neste ano. Para 2021, a projeção se manteve em alta de 3,00%. Os demais indicadores, por sua vez, não tiveram alterações no

Os motivos para o Ibovespa estar tão descolado da economia real, segundo Henrique Bredda e Ana Carla Abrão

Com o Ibovespa superando os 100 mil pontos, mas com as previsões de uma queda do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil sem precedentes em 2020 por conta da pandemia do novo coronavírus, a pergunta que vem sendo recorrentemente feita é sobre porque o mercado está tão descolado da economia real. Esse foi um dos temas do painel “Perspectivas e o futuro do mercado de capitais no Brasil”, realizado nesta sexta-feira (17) e que contou com Henrique Bredda, sócio-gestor da Alaska Asset, Ana Carla Abrão, sócia e head da Oliver Wyman Brasil, e teve a mediação de Gilson Finkelsztain, presidente da B3. Para Ana Carla, esse descolamento ocorre por um conjunto de fatores, sendo que já “dava as cartas” antes mesmo da crise com o coronavírus explodir. Do lado da demanda, está a forte queda da taxa básica de juros, a Selic, que levou os investidores a procurarem investimentos mais

PIB da China cresce 3,2% no 2º trimestre, acima do esperado, mas vendas no varejo decepcionam

A economia da China registrou expansão de 3,2% no segundo trimestre, na comparação anual, após o tombo histórico dos primeiros três meses do ano (-6,8%), provocado pela pandemia do novo coronavírus. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira, 16, pelo Escritório Nacional de Estatísticas chinês. O resultado veio melhor do que a mediana das projeções coletadas pelo jornal The Wall Street Journal junto a economistas, de alta de 2,6% no PIB do segundo trimestre, sobre o mesmo período do ano passado. O crescimento em relação ao trimestre anterior foi de 11,5%. No primeiro semestre, a queda do PIB foi de 1,6% em relação aos seis primeiros meses de 2019. Produção industrial A produção industrial da China teve expansão anual de 4,8% em junho, após subir 4,4% em maio, segundo dados publicados nesta quinta-feira pelo Escritório Nacional de Estatísticas. O resultado do mês passado veio em linha com a previsão de analistas

Entre em contato